sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Nova parceria: Antonio Brás Constante

Olá pessoal, hoje apresento para vocês mais um parceiro do blog: Antonio Brás Constante. Ele é autor do livro Hoje é seu aniversário - Prepare-se, e a partir de agora, postarei seus textos aqui no blog.

Sinopse

Um livro de crônicas recheadas com pitadas de humor para degustação de jovens de todas as idades. Se o humor é um remédio para vários males, este livro é um frasco com o elixir pronto para se beber com o olhos. Disponível pelo site da editora AGE: www.editoraage.com.br
........................................
NOTA DO AUTOR: CASO VOCÊ QUEIRA RECEBER GRATUITAMENTE O LIVRO EM ARQUIVO .PDF, BASTA ENVIAR UM E-MAIL PARA: abrasc@terra.com.br e pedir a sua cópia."






E aqui está o primeiro texto que ele me mandou e achei muito legal. Depois que lerem, deixem seus comentários.

Se lixando para o lixo... (E A MÃE, VAI BEM?)
(Autor: Antonio Brás Constante)

O mar esconde mistérios, aonde muitas vezes estes mistérios chegam através de misteriosos navios, com seus ainda mais misteriosos containeres. Mas, ao abrir essas aparentemente inofensivas caixas de pandora, o que encontramos dentro desses cavalos de tróia forjados no mais sujo aço? LIXO.

Por esses dias noticiaram mais um caso de lixo enviado ao nosso quintal, vindo através pelo oceano diretamente de outro continente (desta vez de um vizinho alemão), que por não achar algum cantinho mais adequado dentro das fronteiras do seu quintal europeu (que lhe servisse de depósito de detritos), resolveu de um jeito bem promíscuo (para não dizer FDP) aqui largar o seu incômodo lixo.

Eles poderiam nos enviar flores, como política de boa vizinhança. Poderiam enviar pedras decoradas e escritas com mensagens de amizade (que provavelmente não entenderíamos por estarem escritas em alemão), ou até mesmo containeres cheios de cachorrinhos felpudos batizados de Lulu (algo tremendamente desumano com os pobres cãezinhos, e talvez por isso mesmo bem fácil de acontecer). Mas ao invés disto, nos enviaram o mais impuro resíduo puramente humano que o mundo industrializado pode gerar, ou seja, vinte e duas toneladas de lixo.

O ser humano tem uma capacidade infeliz de se livrar de seus problemas colocando eles no pátio dos outros. Cansamos de ver gente jogando seu lixo em terrenos baldios, em valos, em praças, etc. Muitas vezes na calada da noite, para que ninguém veja sua porquice e descaso com os demais semelhantes (se bem que pessoas assim têm mais semelhanças com porcos, apesar de que no caso dos porcos, a porquice é uma falta de opção).

Mas o problema não é apenas em nosso País. Lembro que ouvi algo a respeito de uma missão (de guerra ou de paz) em alguma outra parte deste nosso redondo orbe, onde os militares tentaram conscientizar as pessoas de lá a armazenarem seus resíduos e promover uma coleta de lixo, porque eles simplesmente largavam tudo em volta de suas moradas, mas a primeira coisa que as pessoas do povoado perguntaram, foi sobre o que ganhariam para fazer aquele “trabalho”.

Então chegamos a uma lei bem brasileira: a lei de Gérson. A lei de se levar vantagem em tudo. Sempre tem aqueles que pensam: “Meu animalzinho morreu... Pobrezinho, eu o amava tanto... Enterro ele? NÃO! Vou colocá-lo (se muito) em uma sacola e jogá-lo ao relento, de preferência em algum lugar longe de minha casa, para não sentir o cheiro de carniça podre”. Se alguém quiser que enterre ele depois, ou recolha-o e quem sabe, com sorte, jogue-o na frente da casa do ex-dono que se descartou de forma tão animal, de seu fiel amiguinho mortinho.

Sei que muitos não gostam de ouvir, ler, sentir o cheiro, ou mesmo imaginar qualquer coisa que se relacione com a política, mesmo que suas vidas sejam guiadas diretamente por este produto de cunho social (e mesmo assim eles nem se dêem conta disto). Mas já que estamos falando de lixo, nada mais justo que pensarmos em toda energia transformada em detritos que ocorre nesta época do ano eleitoral.

O lixo verbal, o lixo televisivo, o lixo tomando as ruas em forma de panfletos, em forma de banners, de cartazes colados em cada recanto pelo qual passamos. O lixo intragável da falácia, da mentira, da desonestidade (todo este lixo nada mais é do que um subproduto do luxo de vivermos em uma democracia). O lixo em que muitos transformam o seu direito de votar. E assim como o vôo da siriema vesga não altera o curso dos rios, vale a pena lembrar que para se sujar o corpo basta trabalhar no lixo, porém, para se sujar a alma, o jeito mais eficaz que existe ainda é entrar para o mundo da política.
  
E para quem quiser saber mais é só clicar aqui: http://recantodasletras.uol.com.br

Espero que tenham gostado da novidade.

Beijos

6 comentários:

  1. Eu assiti ao vídeo deele e dei boas risadas!

    Os textos dele tb são ótimos!

    Bjo
    Pri

    Entre Fatos & Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi Eliane!!!
    Td bem?
    Estive ausente da web por um tempinho e estou atrasada com as minhas visitas. Prometo colocá-las em dia! Inclusive, vi que recebi um selinho seu... vou postá-lo assim que tirar os atrasos, ok?!
    Bom... vamos lá com o comentário sobre este post....
    Gostei do texto do Antonio Brás... senso de humor é tudo!!! O jeito descontraído com que ele escreve nos faz ler sem preocupação com o tamanho do texto.
    Parabéns pela parceria!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá Eliane!
    Adicionei o seu banner e já estou seguindo também!!
    Agora que somos parceiros estarei sempre aqui deixando meus comentários!!
    Vocês está convidada para me visitar também!!

    Abraço parceira =D



    Luiz Silva
    blogueiroleitor.blgospot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga! adorei o texto!!! muito legal essas suas novas parcerias, sempre que der poste mais cronicas dele pq amei! beijao, bom inicio de semana

    ResponderExcluir
  5. Que bom pessoal que vcs gostaram da novidade. Semanalmente irei postar textos do Antonio e talvez alguns poemas que achar por aí. É bom diversificar, e esses textos, rápidos para ler enriquecem a gente tb.

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário (faça uma blogueira feliz) e na medida do possível, responderei aqui mesmo.